Fique bela todos os dias, o dia todo!

Fique bela todos os dias, o dia todo!

segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Saúde: Dúvidas sobre alimentação no trabalho


Devido a falta de tempo, as pessoas não têm disponibilidade para fazer suas refeições em casa, ao menos, durante a semana. Daí a importância das empresas investirem em processos e alimentos de qualidade.

Os profissionais que precisam comer fora de casa procuram uma alimentação que seja saborosa, variada, bem apresentada, saudável, elaborada com higiene e produtos de qualidade. A hora da refeição é também um momento de lazer e descontração, por isto buscam ambientes agradáveis, limpos e adequadamente decorados. Também costumam levar em conta o custo-benefício da refeição.
Cria-se então um impasse: o que é mais saudável, alimentar-se com a refeição feita em casa, ir a um restaurante ou trabalhar numa organização que ofereça alimentação aos seus colaboradores?

“Optar por cozinhar em casa é mais barato, e a pessoa pode escolher os alimentos e os ingredientes conforme sua preferência, no entanto, está cada vez mais difícil ter tempo para preparar as refeições. E entre comer no restaurante da empresa e em outros estabelecimentos, a primeira opção é mais vantajosa, isso se a empresa investe em um ambiente de alimentação adequado. Além de, normalmente, o custo ser menor, não há necessidade de deslocamento e a alimentação é bem mais balanceada do que um fast food, por exemplo, que tem sempre o apelo dos pratos aceitos pela maioria, como massas, frituras e gorduras”, ressalta a diretora operacional da LC Restaurantes, Lenir Nori.


Vale-Refeição ou Restaurante da empresa?

Em termos de benefício, cada um deles tem vantagens e desvantagens:
Segundo a doutora Rosicler Dennanni Rodriguez, integrante da Câmara Técnica do CRN-3, o VR permite aos colaboradores a liberdade de escolher o local e tipo de alimentação que desejam. Podem variar o tipo de estabelecimento (desde que haja vários locais para se alimentarem próximo à empresa) e o tipo de alimento que desejam comer de acordo com sua vontade. O número de opções costuma ser maior.
A desvantagem é de que necessitam de um tempo maior para a refeição (ou ingeri-la em um curto espaço de tempo), muitas vezes necessitam se deslocar de carro (gastos maiores) e estarem atentos à qualidade dos alimentos e higiene do estabelecimento. “Além disso, muitos não sabem fazer escolhas saudáveis na rua e consomem comidas ricas em gorduras, calorias, sal e açúcar, prejudicando a saúde”, observa Rosicler.

Quando a empresa conta com uma estrutura de alimentação, tem a vantagem de praticidade, ganho de tempo de deslocamento, promover a integração dos funcionários e garantir a higiene e equilíbrio da refeição.
A desvantagem é, normalmente, uma menor quantidade de opções e estar sempre em um mesmo local, se o mesmo não tiver ambiente agradável.
A preferência se dará pelo estilo, disponibilidade e motivação do colaborador.


Qual custa mais à empresa: VR, VA ou Restaurante?

Em relação aos gastos, o valor do VR e o custo da refeição no restaurante da empresa são próximos, quando ambos atendem a uma refeição de qualidade em todos os aspectos.
Com o VA, o colaborador tem acesso a inúmeros estabelecimentos credenciados, como supermercados, hortifrutis e padarias, garantindo a compra de alimentos, tais como leite, ovos, frutas e legumes, itens estes que não fazem parte da cesta básica.
O VR é um cartão-benefício voltado ao pagamento das refeições em rede credenciada que inclui restaurantes, bares, lanchonetes e similares.
O restaurante da empresa pode ter administração própria (autogestão) ou ser terceirizado (empresa de alimentação especializada neste fim) e atende, na maioria dos casos, somente aos colaboradores da empresa.


Preferência dos profissionais

Muitas organizações já descobriram a importância de trabalhar com estratégias diferenciadas para tornar o local e o momento da refeição agradável, levando seus colaboradores a preferirem comer dentro da empresa ao invés de buscar opções fora dela. As estratégias vão desde o tipo de serviço (self-service, quilo, etc.), refeições temáticas, até tipos de opções diversas (grelhados, massas, pratos regionais, pratos lights, lanches saudáveis, grande variedade de saladas e frutas).
A doutora e nutricionista Rosicler acredita que para oferecer um restaurante de qualidade aos seus funcionários, a empresa deverá investir em seis frentes:
  • Alimentação- oferecer alimentos de qualidade comprovada (fornecedores idôneos), variedade, opções de pratos e tipos de preparações (dar preferência a preparações saudáveis, evitando alimentos calóricos, ricos em gordura, sal e açúcar); investir na educação nutricional dos colaboradores. Aparência e apresentação/decoração também são fundamentais;
  • Estrutura física – bons equipamentos de preparo, refrigeração, armazenamento e distribuição de alimentos, pois eles permitem confeccionar preparações com excelente qualidade final: mais saudáveis, bem apresentáveis e de menor risco à saúde. Além dos equipamentos, é importante investir nos utensílios e demais acessórios para o preparo, distribuição e uso do colaborador;
  • Ambientação – cores e decoração agradável. Espaços para café, bate-papo e descanso são bem vindos;
  • Higiene e limpeza – indispensável;
  • Atendimento de excelência – contar com profissionais treinados e capacitados para preparar, servir e atender aos clientes;
  • Acompanhamento – é fundamental ter um profissional nutricionista para garantir o equilíbrio dos pratos e preparações e prover a educação nutricional. Cada vez mais as pessoas estão se preocupando com a saúde e qualidade de vida e os restaurantes nas empresas passaram também a ter o papel de provedores da saúde, prevenindo doenças relacionadas ao estilo de vida inadequado como diabetes, hipertensão, colesterol elevado, tão comuns hoje em dia.

“Além disso, é importante ter uma ferramenta que permita que os colaboradores avaliem a qualidade da refeição. A nossa empresa de alimentação, por exemplo, disponibiliza aos clientes vários canais para que possam expressar sua opinião sobre nossos serviços. Estamos sempre abertos para ouvir e fazer as modificações que forem necessárias”, conclui Lenir Nori.


sexta-feira, 27 de setembro de 2013

Receita: Bolo Cocada


Bolo cocada




Veja como fazer um bolo de cocada muito gostoso e molhadinho, combinado com uma calda de maracujá incrível

Você precisa de:

  • Leite condensado, 1 lata Leite, 300 ml Ovos, 2 unidade Coco fresco, 250 g Farinha de trigo, 30 g Para a calda: Maracujá, 1 unidade Mel, 30 ml Água, 75 ml Glucose de milho, 25 ml

Passos

1
Bata todos ingredientes do bolo no liquidificador por 3 minutos.
2
Em seguida, coloque a mistura em uma fôrma untada e enfarinhada e asse por 50 minutos, a uma temperatura de 160ºC a 180ºC.
3
Para fazer a calda, leve os ingredientes ao fogo e deixe cozinhar por 10 minutos.
4
Desenforme, por fim, o bolo cocada e decore com coco ralado e a calda de maracujá.





Fonte: Bem Simples

quinta-feira, 26 de setembro de 2013

Beleza: Toques de blush - dicas para aplicá-lo de acordo com o formato de rosto

O produto que você aplica nas bochechas pode fazer maravilhas por sua beleza: deixá-la mais iluminada, saudável! Aprenda o jeito de usá-lo de acordo com o seu formato de rosto e mude o seu look





Cremoso, líquido, em pó, spray, tipo mousse... Seja qual for a sua versão preferida de blush, ela sempre ajuda a valorizar a maquiagem. Mas é preciso conhecer alguns segredos para ganhar um efeito natural:


Cor ideal 
A pele branca rosada fica maravilhosa com blush laranja ou pêssego. A branca amarelada combina com rosa. A morena pode apostar no rosa ou bronze vivos. E a negra se destaca com nuances tijolo, marrom cintilante, vinho e vermelho fechados. 

Pincel adequado 
O melhor é o que tem cerdas macias. Ele pode ser chanfrado (com corte lateral), que se encaixa no contorno do rosto e delineia bem quando a intenção é afinar o visual; ou redondo, para uma marcação arredondada na bochecha. 

Textura perfeita 
Você deve fazer a escolha entre pó, creme, líquido, spray e mousse de acordo com o melhor resultado para a sua pele. Geralmente, os cremosos e líquidos derretem com facilidade, por isso são mais recomendados para peles secas. Os pós são práticos e ajudam a "secar" a pele. 

Aplicação básica 
Para ficar com a aparência saudável, sorria e passe blush na parte onde a bochecha parecer mais elevada. Espalhe o produto com movimentos circulares. 

Agora, veja como aplicá-lo de acordo com o seu formato de rosto seguindo as dicas do maquiador Théo Carias... 

Redondo

Para afiná-lo um pouco, passe nas maçãs do rosto em diagonal, direcionando o pincel para a boca 

Oval




Espalhe o blush nas bochechas em direção ao nariz para dar a impressão de que o rosto é mais largo 

Coração

Concentre o blush somente na parte mais baixa das maçãs do rosto 

Quadrado

Aplique o produto na diagonal, seguindo o contorno natural do osso da maçã do rosto




Fonte: M de Mulher

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Carreira: Como lidar com os bloqueios profissionais


Quando tentamos iniciar projetos ou colocar em prática uma ideia, nos deparamos com aquela sensação de inércia, geralmente, causada por bloqueios que poderão atrasar algumas tarefas e, até mesmo, o desempenho de modo geral. Somos bombardeados diariamente com informações, tecnologias e desafios que tendem a provocar uma trava mental, resultante, do receio do novo, do medo à rejeição e, também, da impaciência na espera da aplicabilidade de um processo.


Quando assumimos um projeto, por vezes, os bloqueios nos impedem de iniciá-lo por nos sentirmos incapazes de realizar a tarefa. Para Fábio Zugman, especialista em gestão de carreira, “os bloqueios podem se manifestar de várias formas. A pessoa evita a tarefa, arranjando outras coisas para fazer ocupando seu tempo, podem cair na boa e velha procrastinação, navegando na Internet e fazendo outras atividades que ‘parecem’ trabalho, mas, não são”.
É comum que estas pessoas adiem ou deletem tudo o que começam a fazer e podem até se pegar olhando para uma tela em branco, sem saber por onde começar. As sensações negativas como, desespero, sentimento de fracasso e incapacidade, faz com que acabem desistindo ou realizando um trabalho inferior, “em geral, são medos específicos de arriscar, de que o projeto não dê o resultado esperado e que isso coloque em risco a reputação da pessoa”, explica Sílvio Celestino, sócio-fundador da Alliance Coaching.

Este desconforto é ocasionado pelas expectativas de um projeto, como começar em um novo emprego, montar uma empresa ou escrever um livro – situações que podem parecer gigantescas no começo. É preciso entender que cada projeto é composto de vários passos, que devem ser dados um de cada vez. O que acontece quando as pessoas se sentem bloqueadas é que elas esperam resolver tudo em uma única vez ou esperam que seu trabalho e resultado final fiquem prontos e perfeitos na primeira tentativa.
“Geralmente, qualquer projeto de maior porte e resultado incerto envolve uma sequência de passos com vários erros e refinamentos. Isso é especialmente arraigado na época dos estudos, em que o erro é sempre punido e as respostas certas recompensadas. É precisa entender, no entanto, que fora do mundo acadêmico, os erros devem ser valorizados como parte do processo de aprendizado”, explica Zugman.
Para driblar bloqueios é importante sermos justos, identificando as causas e efeitos destas travas, pois no mundo corporativo vivemos a expectativa de novos acontecimentos diariamente e a vontade de criar e de trazer uma solução crível para os negócios, muitas vezes, é barrada por processos burocráticos.  Para Sílvio, desenvolver a capacidade de comunicação e de gerir conflitos são ferramentas importantes para vencer bloqueios. “Treine a escuta ativa, ou seja, a capacidade de comunicar-se por meio de perguntas relevantes ao seu interlocutor, de forma a fazê-lo pensar e agir de forma mais favorável a uma ideia ou projeto”, explica Celestino.


Administrando conflitos

É importante saber comunicar as pessoas responsáveis por esses bloqueios e a relevância de um projeto ou ideia, destacando o que agregará na operação da empresa ou para o cliente. Assim, todos estarão alinhados e contribuirão, em vez de criar ainda mais barreiras.
Outro fator importante é compreender que uma ideia pode ser simples para quem a teve, porém, quem recebe levará um tempo para aplicá-la, ou seja, administrar a impaciência e processar melhor uma sugestão é primordial para desbloquear as atividades. De acordo com Zugman,“quando temos uma ideia, é preciso prepará-la para o resto do mundo, e até adaptar de acordo com as opiniões que recebemos. O problema é que existe um mito de que as ideias nascem prontas e são frutos de seus criadores, e muitas pessoas as tratam quase como ‘filhas’. Uma ideia, quando está na cabeça de alguém, é apenas o embrião e tem muito a ser melhorada no caminho da sua realização. Não veja os passos como ‘burocracia’, mas, sim, como oportunidades de saber a visão dos outros, melhorar e mudar para torná-la cada vez mais viável”.

Após a administração de possíveis conflitos é hora de agir, coloque na cabeça que o momento certo para começar uma atividade ou mudança pode nunca aparecer. Então o melhor a fazer é iniciar a caminhada, mantendo-se alinhado com os superiores e com seus propósitos, “enfim, aprenda a argumentar com fundamento para que seja ouvido e respeitado nos momentos em que bloqueios surgirem”, conclui Celestino.


Fonte: Portal Catho

terça-feira, 24 de setembro de 2013

Moda: Aplicações de cristais levantam peças básicas


Cristais deixam roupas e acessórios mais femininos e festivos. 

Aposte na tendência e transforme seu look básico

Cristais dão um "up" em peças básicas
Foto: MdeMulher
As aplicações com cristais dão cor e brilho às peças, ajudando a criar texturas e efeitos superbacanas, que podem ser usados do dia à noite. Keep on shining!
Decoração soft no desfile de Gloria Coelho
Fotos: Reprodução
A tendência apareceu no desfile de inverno 2013 de Gloria Coelho. Para sua coleção de inverno 2013, a designer aplicou cristais em casacos e mantôs de veludo, com shapes arredondados, de elegância sutil.
// Paletó de seda com cristais, Juliana Jabour, R$ 1835*
// Paletó de seda com cristais, Juliana Jabour, R$ 1817*
// Sandália de couro e cristais, Miu Miu, R$ 2320*
O look boy versus girl überchic de Karolina Kurkova
Fotos: Reprodução
Lá fora, Karolina Kurkova já aderiu. A top aposta no minivestido decorado com cristais pretos e prata para criar uma produção feminina, mas com certo perfume boyish.
// Vestido de viscose e cristais, Prada, R$ 10760*
// Bulsa de renda, seda e espelhos, Oma Tees, R$ 689*
// Colar de metal e cristais, Swarovski, R$ 4767*
Look do inverno 2013 de Gloria Coelho
Fotos: Reprodução
Durante o dia, invista nos acessórios com cristais para criar um ponto de luz suave na produção e deixe as roupas decoradas para os looks mais festivos.
// Blusa de georgette com cristais, Lu Monteiro, R$ 1580*
// Bolsa de couro com cristais, Arezzo, R$ 300*
// Bracelete de metal e cristais, Lu Monteiro, R$ 598*
*Preços pesquisados em agosto/2013
Fonte: M de Mulher

segunda-feira, 23 de setembro de 2013

Saúde: Descubra as diferenças entre os alimentos orgânicos e os tradicionais


Recente estudo americano aponta que os alimentos orgânicos não seriam mais nutritivos do que os convencionais. Mas será que esse dado é tão relevante assim? Descubra o que dizem os especialistas e faça sua escolha



Depois de revisar nada menos do que 237 pesquisas, estudiosos da Universidade Stanford, nos Estados Unidos, concluíram que desembolsar uma grana extra para ter alimentos orgânicos na despensa pode não valer a pena. É que eles não identificaram, na maioria dos casos, diferenças significativas na concentração de vitaminas e afins.
O que é um alimento orgânico?
"É aquele produzido sem o uso de agrotóxicos, adubos químicos sintéticos, sementes transgênicas e drogas veterinárias", define a nutricionista Elaine de Azevedo, da UFGD. Já os itens processados não recebem aditivos químicos nem irradiação.Os vegetais orgânicos também devem passar por uma higienização, porque não estão livres do contato com bactérias e fungos
ORGÂNICOS X TRADICIONAIS
Quantidade de nutrientes
Nesse quesito não são esperadas grandes variações. Ponto para os dois tipos de alimentos.
Segurança alimentar
Vegetais orgânicos são cultivados sem agrotóxicos nem adubos químicos sintéticos. Por isso, são mais confiáveis. Ponto para os orgânicos!
Fitoquímicos
A ausência de pesticidas leva a uma maior formação desses compostos com ação antioxidante nos orgânicos. Ponto para os orgânicos!
Preço e disponibilidade
Os alimentos orgânicos ainda são mais caros do que os tradicionais. Além disso, não se encontram em todos os supermercados. Ponto para os tradicionais!
Preservação do meio ambiente
Os agrotóxicos contribuem para a contaminação do solo, da água e do ar. Ponto para os orgânicos!
Hora da limpeza - Veja como lavar corretamente frutas e verduras!  
É fundamental higienizar os alimentos antes do consumo. Especialmente se eles receberam agrotóxicos durante o cultivo
1. Água neles!
Comece lavando muito bem os vegetais em água corrente. Depois, deixe-os de molho por cerca de 30 minutos. Não há necessidade de recorrer à água sanitária ou às soluções com cloro nessa etapa.
2. Casca dura
Misture gotas de detergente neutro à água para esfregar itens de casca grossa, a exemplo de laranja, melão e abacate. É só passar o líquido no fruto com uma esponja macia.
3. Atenção às folhas
Antes de dar um banho nelas, livre-se das mais externas. Como elas ficam em contato direto com o solo, concentram uma quantidade maior de agrotóxicos.
Fonte: M de Mulher

sexta-feira, 20 de setembro de 2013

Receita: Pizza Integral


Pizza integral















Pizza integral, simples e fácil de fazer.

Você precisa de:

  • Farinha integral, 500 g Azeite de oliva extra virgem, 50 ml Sal, 20 g Fermento biológico, 2 tabletes Água morna, 450 ml Açúcar, 15 g

Passos

1
Coloque os líquidos da receita em um bowl, a água morna, o azeite e o sal.
2
Adicione a farinha integral, aos poucos.
3
Acrescente o fermento dissolvido com o açúcar, e adicione farinha até dar o ponto. Deixe descansar por 30 minutos, depois abra a massa em assadeiras.
4
Para fazer o molho de tomate, bata no liquidificador somente a polpa do tomate, isto é, os tomates sem pele e sem semente.
5
Fatie a mussarela de búfala. Monte a pizza, colocando o molho sobre a massa, a mussarela e o manjericão, e leve ao forno por 30 minutos




Fonte: Bem Simples

quarta-feira, 18 de setembro de 2013

Carreira: InfoTrends traz tendências da cultura digital


O evento realizado pela revista INFO apresentou as novidades em inovação, tecnologia e cybercultura. Com o intuito de integrar protagonistas do marketing digital e debater a mudanças no cenário da comunicação, o INFOtrends foi realizado no WTC Tower, em São Paulo.

Na primeira apresentação do dia Hugo Barra, vice-presidente mundial do Google, mostrou diversas novidades como o tão falado Google Glass e o tipo de tecnologia que esse dispositivo pode executar. Além do Glass, o Pebble, o smartwatch do Google, também foi exibido pelo vice-presidente. “O mundo passará por uma inevitável reinvenção de processos”, afirmou Barra.
O representante do Google também exibiu uma engenhosa ideia de disseminar o acesso à internet para a população que sofre com a exclusão digital. O Project Loon são balões que ficam a 20 quilômetros da superfície terrestre (estratosfera),  e que podem oferecer conexão à bilhões de pessoas que não possuem acessibilidade à web. Os balões tem cerca de 15 metros de diâmetro, e são movidos a energia solar.

Ainda na parte da manhã, Erica Smith, vice-presidente da Amnet, palestrou sobre como a tecnologia reinventa a compra de mídia – canalizar informações de usuários da internet e oferecer produtos e serviços individualizados. Na sequência, Gerd Leonhard, CEO da Futures Agency, abordou o futuro da mídia, da TV e da publicidade em uma sociedade conectada. ”O Big Data é um dos diferencias para a mídia do futuro”, apontou Leonhard.
Para finalizar o período diurno, a dupla Donald Chesnut e Marcelo Tripli, CEOs da Sapiente Nitro, mostraram que empresas como Adidas, Coca-Cola e Disney estão realizando ações de marketing que convergem o físico com o digital. “O conceito de melhorar a vida do consumidor é mais eficiente do que a preocupação com a comunicação”, opinou Tripli.

Debate no INFOtrends


As oportunidades no meio digital que surgem com as mudanças de comportamento do consumidor foi o destaque da tarde, e teve como tema “Segunda Tela e Audiência”. Participaram do debate Guilherme Ribenboim, diretor-geral do Twitter, Vinícius Andrade Pereira, diretor do ESPM Media Lab, Fábia Juliasz, diretora executiva de novos negócios do Grupo Ibope, Flávio Ferrari, sócio do Qual Canal e Martha Gabriel, diretora de tecnologia da New Media Developers. “Claramente a TV e o Twitter está sendo usados mutuamente. Só no jogo da final da Copa das Confederações mais de 3 milhões de tuítes foram feitos”, comentou o diretor do Twitter.

Após o debate, o evento contou com a apresentação de cases de agências que desenvolveram ideias para marcas consagradas como Fila, com a plataforma FilaBeat, Guaraná e sua fan page com mais de 10 milhões de seguidores, e Dove, apresentando a campanha “Retratos da Real Beleza”. Segundo Hugo Veiga, da Ogilvy Brasil, agência responsável pela campanha da Dove, a marca queria provar que quem mais sabota a beleza feminina são as próprias mulheres.


Fonte: Portal Catho

terça-feira, 17 de setembro de 2013

Moda: Depois do peplum, babado domina as passarelas internacionais


Em versões dramáticas, sexy e românticas, o babado apareceu nos desfiles de Givenchy, Balenciaga, Chloé e J. W. Anderson. 

Aposte na tendência, que em 2013 vem escultural!


Gucci, Givenchy e Balenciaga apresentaram suas versões da tendência
Fotos: Reprodução

Antes um território dominado por crianças e dançarinas de flamenco, os babados ressurgem nas passarelas internacionais em versão adulta e sofisticada. O efeito franzido, que adiciona doses de drama a qualquer produção, andava esquecido desde os anos 1980, mas faz um retorno em grande estilo, já que a versão 2013 vem mais escultural do que girlie, com pegada fresh e moderna. Tanto a Gucci quanto a Givenchy mesclaram sua fluidez ondulada com a silhueta reta em looks monocromáticos, de ares românticos, mas nada bobos. Na passarela da Balenciaga, o volume vem pontuado pela influência latina, aplicado nas fendas de saias de cintura alta, combinadas a tops de corte seco.
Os looks de Chloé, J.W. Anderson e Givenchy
Fotos: Reprodução
Chloé não ficou de fora e investiu em tons pastel, acrescentando o babado a tops românticos e vestidos de um ombro só, numa produção maximalista. Em Londres, J. W. Anderson aplicou o volume de maneira mais discreta em tops e saias, apresentando os modelos mais usáveis da temporada. Quando explorar a tendência no dia a dia, a dica é ficar atenta às proporções. Se você tem o quadril largo, evite o volume nesta região e opte pelos babados na parte de cima. O contrário vale para quem tem o busto avantajado. As saias com babados sutis na barra são as opções mais fáceis para aderir à tendência e com certeza evitarão qualquer risco de sair por aí com a cara de dançarina de salão.
As celebridades investem na tendência
Fotos: Getty Images
As famosas também aderiram à moda: Rooney Mara vai de conjuntinho J.W. Anderson, Julianne Moore aposta na tendência de forma discreta com vestido Alexander McQueen e Amanda Seyfried veste Balenciaga. Olé!

segunda-feira, 16 de setembro de 2013

Saúde: Ser vegetariano faz mal para a saúde?

A alimentação vegetariana suscita paixões e polêmicas. 

Alguns argumentam que a carne faz falta para o organismo 

e outros que é possível ser saudável sem ela. 


Conheça a opinião de diversos especialistas sobre o assunto



A pesquisadora Suzana Herculano-Houzel, do Rio de Janeiro, afirma que um vegetariano pode ter grandes riscos de não ingerir a quantidade suficiente de proteínas, o que faz falta para o desenvolvimento e o bom funcionamento do cérebro. Ela diz ainda que bebês e crianças não devem ser submetidos a dietas vegetais, a não ser sob supervisão médica. Eric Slywitch, médico e diretor da Sociedade Vegetariana Brasileira, vê na afirmação "um equívoco" e a rebate argumentando que o cérebro é priorizado quando há desnutrição severa. Nesse caso, ocorre perda de massa muscular para aproveitamento proteico cerebral. Segundo ele, não há provas de comprometimento do vegetariano, e a preocupação com o equilíbrio na dieta de crianças deve existir, independentemente de ser onívora ou não. Veja algumas reflexões trazidas por especialistas para ajudar na decisão sobre o que colocar no prato.

Vegetarianos são mais saudáveis?

O nutrólogo Durval Ribas Filho, presidente da Sociedade Brasileira de Nutrologia, garante que a dieta vegetariana não oferece perigo se for monitorada: "Sugiro um check-up a cada seis meses e, se houver qualquer deficiência, ela pode ser rapidamente corrigida". Já o nutricionista George Guimarães, diretor da consultoria NutriVeg, em São Paulo, considera a medida sem importância. "O cardápio vegetariano disponibiliza os nutrientes necessários. Vegetarianos são mais saudáveis e têm menos doenças crônico-degenerativas e cardíacas." Para comprovar sua tese, ele cita uma pesquisa da Universidade de Oxford, feita com 45 mil voluntários (34% vegetarianos) e publicada no American Journal of Nutrition. Os que não comiam carne apresentaram menor risco de cardiopatias. Pesa nesse quadro um traço comportamental, admitido por Durval. Os vegetarianos são mais criteriosos quanto aos alimentos que consomem, não cometem exageros, cuidam da saúde e são menos propensos à obesidade.

Ovolactovegetariano ou vegetariano?

A nutricionista Cynthia Passoni, especialista em nutrição infantil pela Universidade Estadual Paulista (Unesp), uma estudiosa da relação entre crescimento e alimentação, pondera que a dieta vegetariana não é garantia de saúde: "É muito comum ver pais que não consultam um médico e simplesmente trocam a carne por massas e pães, prejudicando os filhos". Para ela, a proteína é um dos itens mais polêmicos. Presente principalmente na carne, também está em feijões, lentilha, quinoa, nozes (amêndoas, castanha de caju) e sementes (gergelim e linhaça). "Nestes últimos, cumpre o mesmo papel da proteína da carne no desenvolvimento", diz ela, "mas nem sempre está incorporada nas refeições infantis." Eric lembra uma tabela nutricional que aponta que um bife grelhado, de 64 gramas e 190 calorias, pode ser trocado por 7 colheres (sopa) de lentilha cozida. O pediatra Mauro Fisberg, autor do Guia Descomplicado da Alimentação Infantil, editado em parceria com as revistas CLAUDIA e SAÚDE, põe lenha na fogueira: "Quanto mais restrita é a dieta, maior a possibilidade de ocorrer alguma deficiência alimentar". Ele explica que um cardápio ovolactovegetariano, que abre o leque para o ovo e o leite, ofereceria uma opção mais completa. "O cálcio, presente no leite, é essencial para a formação óssea. Sem ele, pode haver, no futuro, risco de osteopenia e osteoporose. A soja também é boa fonte de cálcio, que está em menor quantidade em verduras verde-escuras."

É preciso complementar 

A gestação e os primeiros anos da infância são fases críticas, segundo Cynthia. Por isso, Mauro argumenta que a família deveria esperar um pouco para introduzir a criança no vegetarianismo. Ou fazê-lo sob orientação. E aí recorrer aos alimentos fortificados. "No mercado, há arroz, sucos e queijo de soja enriquecidos com cálcio", diz Andrea Giancoli, nutricionista da associação americana de nutrição.

A falta de outro elemento da carne vermelha, o ferro, pode levar à anemia, que causa cansaço e baixa concentração. O ferro das leguminosas (feijão, soja) e das folhas verdes-escuras é menos assimilado pelo organismo. Por isso, vegetarianos devem dobrar a ingestão para não ficar com o estoque baixo - embora esse grupo tenda a se adaptar e aumentar, gradativamente, a capacidade de absorvê-lo. "Para potencializar o ferro, é preciso combiná-lo com vitamina C (acerola e goiaba) e ainda evitar laticínios, que dificultam sua absorção", afirma Cynthia. O peixe de água fria, excluído da mesa vegetariana, é rico em ômega 3 - importante para a mielina, gordura que encapa as fibras nervosas e acelera a comunicação entre os neurônios. "Dá para obter a quantidade diária necessária de ômega 3 ingerindo 2 colheres (chá) de óleo de linhaça", rebate George. Segundo ele, o único componente que não tem substituto, a vitamina B12, precisa ser acrescentado por meio de injeções, cápsulas ou gotas. Ela provém da carne e tem função fundamental no raciocínio. Sua falta pode levar à anemia e prejudicar o crescimento das crianças.

Richard Wrangham, primatólogo e professor de Harvard, autor de Pegando Fogo - Por Que Cozinhar nos Tornou Humanos (Zahar), joga o debate para outro campo. Quando a comida é cozida, diz ele, obtemos a mesma quantidade de calorias na dieta vegetariana ou na típica americana, rica em carne. Só com as cruas ocorrem perdas.

Fonte: M de Mulher